30/01/2020

#Desburocratizando | As influências negativas da burocracia durante a abertura do seu negócio


Ouviu falar em “burocracia” e já se arrepiou? O termo, derivado das palavras BUREAU (francês, para “escritório”) e KRATOS (grego, para “poder ou regra”), é algo bastante presente no cotidiano de muitas empresas, e, no geral, na vida dos brasileiros. Para as pessoas que têm vontade de empreender, os efeitos da burocracia são ainda piores. 

Se abrir o próprio negócio já não é uma tarefa, por si só, fácil, imagina com uma quantidade grande de processos, na maioria das vezes, lentos, e que apresentam grandes riscos de frear os trâmites? Pois é, o sonho do empreendedor se torna cada vez mais distante, devido ao enredamento no processo burocrático e as diferentes formas de operação entre as regiões do país. 

Mapeamento feito pela Endeavor Brasil revela o tempo, o custo e a complexidade de tributos que complicam a vida do empreendedor brasileiro. A Endeavor constatou que, no Brasil, dura, em média, 129 dias para abrir uma empresa, variando entre 24 e 304 dias. Enquanto isso, leva-se mais 154 dias para regularizar um imóvel. No que diz respeito à quantidade de documentos a serem preenchidos, o número é, em média, entre 6-7 papéis por dia nos demonstrativos de apuração do ICMS, variando entre 3 e 19 fichas, dependendo do estado.

No entanto, as coisas parecem mudar e já é possível simplificar alguns processos, como é o exemplo do eSocial que é um projeto idealizada pelo governo federal que visa unificar obrigações, uniformizar e combater a sonegação relacionadas aos empregados de uma empresa. Hoje, os incentivos governamentais ainda não causam muito impacto muito no sistema burocrático que envolve a abertura e manutenção dos empreendimentos brasileiros, mas o futuro em relação à desburocratização é, de fato, promissor. 


Todos os posts...